ATENÇÃO DIVULGADORES: Está confirmado mais um Plantão TelexFREE

Acabamos de receber a informação de que essa semana teremos mais um Plantão TelexFREE com o nosso diretor Carlos Costa.

Com um tom de esperança fomos informados pelos representantes comunicativos da TelexFREE. A coisa está melhorando divulgadores!

Essa semana promete!!!

Nos garantiram que são notícias boas relacionadas a Devolução de Valores.

# SERÁ QUE DESSA VEZ SAI A TÃO SONHADA DEVOLUÇÃO?

Vamos esperar o Pronunciamento oficial da empresa. Assim que possível em primeira mão o vídeo!

Compartilhem



Laudo da Ernst & Young não possui mais nenhum valor no processo da TelexFREE

A perícia feita pela E&Y não possui mais nenhum valor no processo da TelexFREE. O diretor Carlos Costa derrubou a tese que a empresa apresentou em seu laudo, além de comprovar a manipulação feita no caso.

São cerca de 4,5 milhões de reais que serão devolvidos aos cofres da TelexFREE com correção monetária.

Hoje a TelexFREE possui cerca de 700 milhões de reais no Banco da Caixa Econômica Federal que está sob posse do Judiciário Acreano, sendo que para realizar a devolução de valores é necessário apenas 250 milhões segundo o levantamento feito pelos contadores da TelexFREE.

O comunicado oficial por parte da juíza irá acontecer nos próximos dias.

Compartilhem



DEVOLUÇÃO DE VALORES - Advogados da TelexFREE exigem audiência final

A incapacidade da justiça brasileira principalmente em julgar casos que refere-se ao interesse público dos menos favorecidos, é gritante...

O CASO TelexFREE que ainda espera por uma definição da justiça, cuja responsabilidade neste caso está com o estado do Acre.

A juíza Thaís Kalhil (responsável pela liminar judicial que bloqueou a empresa e o dinheiro dos participantes), poderá a qualquer momento derrubar a sua própria liminar proferida há meados de dois anos, pois liminares são provisórias e a mesma que bloqueia a TelexFREE já configura caráter de sentença, por exclusiva falta de provas.

Será de grande deleite pessoal o dia que tudo isso se resolver, por que vai, uma hora, vai.

Está na hora divulgadores o  Brasil precisa saber que m não quer devolver o dinheiro dos divulgadores. Faça sua parte compartilhem esse post!
$$$$$$$

PRA CIMA DIVULGADORES

VOLTA TELEXFREE



TelexFREE Notícias: Ernst & Young acaba de soltar nota de esclarecimento

Veja uma nota dada por um dos funcionários da empresa Ernst & Young.

Na EY, estamos comprometidos em construir um mundo de negócios melhor ao trabalhar para aumentar a confiança nos negócios; promover o crescimento sustentável; o desenvolvimento de talentos em todas as suas fases; e um cenário de maior colaboração.


Queremos construir esse mundo a partir de nossas próprias ações e envolvendo-nos com organizações e indivíduos que pensem como nós. Este é o nosso objetivo e o motivo pelo qual existimos como organização.

A partir de nosso alcance global, buscamos mostrar às pessoas sobre os desafios que enfrentam as economias e os mercados de capitais. Afinal, quando os negócios funcionam melhor, o mundo funciona melhor.

Saiba mais sobre o nosso compromisso em construir um mundo de negócios melhor.

Palavras do Consultor - Dr. Roland

Vejamos agora um resumo Geral da pericia realizada pela empresa Ernst & Young

Depois de observamos estas imagens é possível concluir que as afirmação feita logo acima pelo Dr. Roland é absurdas , a não ser que hoje seja primeiro de Abril!

Compartilhem





Para entender o que é a recuperação judicial (no Brasil) e o Chapter 11 (nos EUA)

"American Airlines pede recuperação judicial e ações caem 81%
As ações da AMR Corporation, controladora da companhia aérea American Airlines, recuavam 81,48% por volta das 14h00 (horário de Brasília) na Bolsa de Nova York. A holding, que controla também a American Eagle, anunciou nesta terça-feira que recorreu voluntariamente ao capítulo 11 da legislação dos Estados Unidos para reorganizar sua estrutura"

O Capítulo 11 ('Chapter 11') pedido pela empresa aérea é o equivalente americano à recuperação judicial no Brasil, criada pela Lei 11.101/05 (ou melhor dito, nossa lei é o equivalente à lei americana, pois foi inspirada por ela).

Tanto nos EUA quanto no Brasil, a recuperação judicial serve justamente para isso: para tentar recuperar a empresa através da renegociação de suas dívidas, inclusive com modificação das datas de pagamentos e dos valores a serem pagos. É uma última chance para que a empresa não vá à falência (no Brasil) ou Chapter 7 (nos EUA).

Para entender a importância desse instrumento, precisamos entender o que existia antes dele no Brasil: a chamada concordata.

Concordata era um instrumento que existia no Brasil até 2005 e servia como um instrumento para evitar a falência. Mas a lei que regulamentava a concordata impunha certos pagamentos e prazos rígidos, e não dava a flexibilidade necessária para que a empresa de fato conseguisse se reorganizar. Ela basicamente atava as mãos do juiz. A consequência de tal rigidez é que a lei acabava levando as empresas concordatárias à falência. Em vez de ajudar, a concordata funcionava como uma punição e se tornava, em boa parte dos casos, apenas uma questão de tempo até a empresa ter de pedir falência. E como ninguém acreditava que a concordata iria funcionar, a falência se tornava ainda mais provável.

A recuperação judicial, que substituiu a concordata no Brasil, tenta evitar a falência (morte) da empresa. A recuperação judicial, diferente da concordata, é muito mais flexível, deixando a cargo do administrador judicial (pessoa que passa a fiscalizar a empresa em dificuldades em nome da justiça) e do comitê de credores (que representa aquelas pessoas afetadas diretamente pelas dificuldades da empresa: credores e empregados) a formulação e aprovação de um plano de recuperação judicial.

Tanto na lei americana quanto na brasileira, a empresa que pede a recuperação judicial precisa declarar o que deve, e a quem, quais as dívidas já estão vencidas e quais irão vencer, quais as garantias dessas dívidas, como pretende paga-las e quais são os ativos que tem ou que receberá. E lá, como aqui, os credores formam um comitê que serve para ‘fiscalizar’ a atuação dos administradores da empresa que está em recuperação. No caso americano, esse comitê de credores é composto, normalmente, pelos sete credores que têm mais a receber da empresa e não têm suas dívidas garantidas.

E lá, como aqui, a empresa também se beneficia do fato de todos os processos em curso cobrando dívidas vencidas e ainda não quitadas serem suspensos.


A razão pela qual a empresa aérea da matéria poderá continuar operando e garante que seus vôos continuarão decolando é justamente porque na recuperação judicial a ideia é tentar dar à empresa todas as chances possíveis para que sobreviva. Isso é importante porque as empresas têm uma importante função social. Elas geram empregos, pagam tributos, por exemplo. Mas elas também são importantes porque fazem com que as outras empresas do mesmo ramo sejam eficientes, evitando a criação de monopólios. Ninguém - exceto as concorrentes - têm a ganhar com a falência de uma empresa aérea. E é por isso que se a própria empresa não pedir a recuperação judicial, aqueles a quem ela deve podem pedir. A ideia da lei (tanto nos EUA quanto no Brasil) é que a função social da empresa é mais importante do que a vontade de seus donos ou diretores: ele podem pedir a recuperação, mas se não pedirem, outras pessoas podem pedir em seu lugar. Se os diretores erraram, eles podem ser punidos, mas deve-se tentar preservar a empresa.

Se ao fim do prazo de recuperação concedido pela justiça a empresa estiver financeiramente saudável, o juiz decreta o fim da recuperação e ela volta a operar normalmente. Mas se ela não conseguir reestabelecer sua saúde financeira, o juiz decretará sua falência (no Brasil) ou o fim de suas operações de acordo com o Chapter 7 (nos EUA).

TELEXFREE NO ACRE; PROMOTORA DO ACRE SE MANIFESTA SEM PROVAS DEPOIS DE MAIS DE UM ANO DE BLOQUEIO




Promotora de Justiça do Acre, se manifesta, sem provas depois de mais de um ano.

Promotora do caso YMPACTUS no Acre se pronuncia, como se .

celebridade fosse.

O Problema disso, é que se manifesta após mais de 13 meses, principalmente sem provas até o momento.

Para relembrar:

A empresa foi acusada de Pirâmide Financeira e até o momento, depois de um ano, nada foi provado.

A Promotoria do Acre utilizou o argumento falho de que os divulgadores seriam, CONSUMIDORES, o que foi vergonhosamente e ridiculamente rechaçado pela Juíza responsável pela 2ª Vara Cível do ACRE,

O MP tentou protestar o processo , tentando induzir a justiça a erro, pedindo a inversão do ônus da prova logo após a negativa de que seríamos CONSUMIDORES, o que por si só, garante a Litigância de má-fé.

Depois disso tudo, o processo ainda está emperrado no ACRE, o Estado mais corrupto do Brasil.

TelexFree Urgente : Informação sobre a restituição de valores investidos na Ympactus, bloqueados no Acre


TelexFree: Informação sobre a restituição de valores investidos na Ympactus, bloqueados no Acre.

Restituição dos valores investidos

A restituição dos valores investidos na empresa YMPACTUS S.A depende, exclusivamente, de sentença a ser proferida no curso da ação civil pública , que atualmente se encontra na fase de produção de provas.

Perícia se encerra em Outubro mês das eleições no Brasil..

Ou seja provavelmente eles fizeram de tudo para o caso não ter um resultado final esse ano...
Infelizmente dependemos da política.... Nosso voto é seu Carlos Costa, precisamos eleger o Sr para poder receber nosso investimento de volta..

#QUEREMOS NOSSO DINHEIRO DE VOLTA

#COMPARTILHEM


Fonte das Informações : Telexbom